A Micro World You Have To Know

By Naty Gaiarim

 

A minha relação com a água é muito antiga, é visceral e inexplicável.

My relationship with water is very old. It’s visceral, and it’s inexplicable.

Desde muito pequena amo nadar, quando adolescente fui bicampeã  de natação do estado de São Paulo (Brasil). Na escola, quando veio a época de decidir o que iríamos estudar na faculdade, eu tinha certeza que seria algo relacionado com a água e sua preservação, mas ainda não tinha o conhecimento do curso de Engenharia Ambiental (e muito menos Sanitária).  Ao longo da graduação ainda não me questionava tanto sobre o tamanho do impacto que nossas ações individuais, simples do dia a dia, tinham na qualidade da água. Foi no meu trabalho de conclusão de curso, sobre os hormônios dissolvidos na água e sua difícil remoção, que minha busca incessante sobre os micropoluentes começou, mas foi só quando aderi a alimentação vegana, que eu realmente descobri um novo mundo cheio de beleza e simplicidade se abrindo bem na minha frente.

Since I was very young, I loved to swim; as a teenager, I was a two-time champion in the state of São Paulo, Brazil. At school, when the time came to decide what to study in college, I was sure it would be something about water and its preservation, but I still did not have much knowledge of environmental engineering, and much less about sanitation. Over the course of university, I still did not question much the impact our simple, daily actions could have on water quality. It was during my final project at university, focused on hormones dissolved in water and how difficult it is to remove them, that my incessant interest in micropollutants began. It was only when I became vegan that I actually discovered a new world full of beauty and simplicity opening up right in front of me.

Alimentação vegana, água, novo mundo…? SIM! tudo está incrivelmente interligado.

Vegan lifestyle, water, a new world …? YES! Everything is interconnected.

Nessa busca contínua por uma vida mais simples e coerente, iniciei uma série de questionamentos em relação ao que eu passava no meu corpo, o que eu estava comendo, medicamentos que utilizava e até o tipo de maquiagem que esporadicamente fazia parte dos meus dias. Passei a compreender melhor o poder das minhas escolhas na hora de consumir um produto, e minha liberdade de comprar apenas de empresas com os mesmos valores que eu.

In my continued search for a simpler and more coherent life, I asked a series of questions about what I was putting in my body, what I was eating, what medicines I used, and even what kind of makeup I put on sporadically. I came to understand the power of my choices when consuming a product, and my freedom to buy only from companies with the same values ​​as myself.

Se eu sou uma engenheira ambiental, amante das águas e do meio ambiente, como eu poderia ainda suportar uma cadeia alimentar ambientalmente tão destrutiva, como a pecuária? Faz sentido mesmo eu continuar usando cosméticos que foram testados em animais? Tudo o que vai para dentro do meu corpo, deve ser excretado, vai para as águas, será que os tratamentos conseguem detectar e tratar esses componentes? Quão prejudicial eles são, para mim e para o meio ambiente?

As an environmental engineer and lover of water and the environment, how could I still support an environmentally destructive food chain? Does it make sense to continue using cosmetics that have been tested on animals? Everything that goes into my body must be excreted, which goes into the water. Will the water treatment plants be able to detect and treat these compounds? How harmful are they, for me and for the environment?

Grande parte dos cosméticos, além de serem testados em animais, possuem substâncias derivadas do petróleo em sua composição, que podem causar alergias e irritações. Lembrando que a pele é o maior órgão do nosso corpo, então como podemos passar algo nela que não pode ser ingerido? Além disso, possuem micropartículas de plástico, principalmente os esfoliantes e as pastas de dente, que acabam sendo despejados no mar, perturbando muito a vida marinha. Muitas vezes esquecemos que a vida é um maravilhoso e perfeito ciclo, e esses microplásticos que descartamos no mar, são ingeridos por animais marinhos que, servirão de comida naquele jantar com frutos do mar fresquinhos adorado por muitas pessoas (assustador pensar que muitas vezes estamos ingerindo microplásticos, que foram despejados por nós mesmos, não é?). Para além dos cosméticos, grande parte dos fármacos, produtos de limpeza, sabões, drogas e conservantes também tem como destino final as águas dos rios, mares e lençóis freáticos.

Most cosmetics, besides being tested on animals, have substances derived from petroleum, which can cause allergies and irritations. Remember that skin is our body’s largest organ, so why would we put something on it that we wouldn’t otherwise ingest? In addition, they have microbeads (super-tiny plastic balls), especially in face scrubs and toothpastes. These microbeads end up being dumped into the sea, greatly disturbing marine life. Many times we forget that life is a wonderful and perfect cycle; these microbeads that we discard in the sea are ingested by marine animals, the same ones that will serve as fresh seafood adored by many people. Scary to think that we are often ingesting plastics, which were dumped by ourselves, is it not? In addition to cosmetics, most of the drugs, cleaning products, soaps, and pesticides we use also end up in rivers, oceans, and groundwater.

Questões do tipo:  “Como todas essas substancias estão afetando a nossa vida, a vida de outros seres vivos e o meio ambiente?”, “Quais serão as futuras consequências?” estão muito vivas em mim,  porém a grande pergunta é: “Como nós, indivíduos conscientes e racionais, totalmente dependentes da água, podemos atuar na prevenção desse tipo de poluição?”

Questions like: “How are all these substances affecting our lives, the lives of other living beings, and the environment?”, and “What are the future consequences?” are very much alive in me, but the big question is: “How can we, conscious and rational individuals, who are totally dependent on water, act to prevent this type of pollution?”

Em estudos e pesquisas por conta própria, percebi que é muito simples, MESMO! Fazer meus próprios cosméticos, saber ler os rótulos dos produtos, comprar de marcas naturais e confiáveis, entender um pouco mais sobre o poder das ervas, plantas e óleos vegetais são apenas algumas atitudes que aderi na minha rotina. Compreendi que não precisamos usar um creme para cada parte do corpo, que posso lavar meu cabelo com produtos que tenho na minha cozinha e que posso muito bem desinfetar a minha casa inteira utilizando apenas vinagre, bicarbonato de sódio, limão e álcool. Esses e muitos outros aprendizados me libertaram de um senso comum que eu estava presa, jurando de pés juntos que não viveria sem todos aqueles produtos super caros que enchiam as prateleira de casa. A alimentação vegana ou mesmo vegetariana contribuiu muito para uma vida mais saudável, diminuindo a ocorrência de doenças e, consequentemente, a  ingestão de medicamentos desnecessários.

Through studies and my own research, I realized that it is very simple, REALLY! Making my own cosmetics, knowing how to read product labels, buying natural and reliable brands, and understanding a little more about the power of herbs, plants, and vegetable oils are just a few things I’ve added to my routine. I understand that we do not need to use a cream for every different part of the body; that I can wash my hair with products I have in my kitchen; and that I can very well disinfect my home using only vinegar, baking soda, lime, and alcohol. These, and many others, freed me from a common sense that I was trapped, swearing that I could not live without all those super expensive products that filled the shelves of my house. Vegan or even vegetarian food has contributed much to a healthier life, reducing the occurrence of diseases and, consequently, the ingestion of unnecessary medicines.

Hoje, não me lembro qual foi a última vez que fiquei muito doente e tive que tomar algum remédio mais pesado. Fazem aproximadamente dois anos que não faço mais compras na farmácia e que não entro na sessão de limpeza dos mercados, prefiro as vendinhas de produtos naturais, que fizeram da minha vida muito mais simples, econômica e sem agressão as NOSSAS águas.

Today, I cannot remember the last time I got very sick and had to take some heavier medicine. It’s been about two years that I have not bought more at the pharmacy, and I do not need to use market cleaning products, preferring the natural products that make my life a lot simpler, cheaper, and do not harm OUR water.

Eu adoraria te ajudar nessa transição, você topa? É só me mandar um e-mail e combinamos uma conversa: wordsoverwater@gmail.com

I would love to help you in this transition, are you in? Just send me an email and we’ll arrange a conversation. Emails will be forwarded from wordsoverwater@gmail.com

 

Algumas leituras interessantes:

Here are some interesting readings:

https://www.health.harvard.edu/newsletter_article/drugs-in-the-water

http://www.simpleluxeliving.com/the-environmental-damages-of-cosmetics/

http://greenspirit.com/beauty-environment/

https://www.brasil247.com/pt/247/revista_oasis/61447/Rem%C3%A9dios-e-cosm%C3%A9ticos-grandes-vil%C3%B5es-da-polui%C3%A7%C3%A3o-das-%C3%A1guas.htm

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/11/1937596-pesquisa-encontra-contaminacao-por-cocaina-e-remedios-na-baia-de-santos.shtml

 

Naty Gaiarim
Environmental Engineer with a passion for water
Brasil

Cover photo:
Berlengas, Portugal, 2017

 

If you enjoyed reading this and want to be kept up-to-date on new Words Over Water content, sign up for our email notifications!

Have a story you want to share? Contact us at wordsoverwater@gmail.com.